AMOR

AMOR

 

Há uma grande falha de interpretação quando se fala à respeito do amor. Afinal o que é o amor? O amor é simplesmente o querer bem. Quando queremos bem à alguém, quando o queremos sinceramente, à isto se denomina amor. Tudo o que se encontra fora deste sentimento de querer bem não se encontra mais na esfera do amor. O desejo físico, a paixão, a posse, o ciúme, tudo isto não pertence ao amor, pertencem ao egoísmo e ignorância à respeito da liberdade e dos sentimentos do próximo.

Então fica claro agora compreendermos o que pretendia o Cristo quando nos revelou o mandamento máximo ‘amai ao próximo como a ti mesmo’. Significa simplesmente: queira bem ao seu semelhante. E o que significa querer bem? Significa que não devemos fazer ao próximo o que não gostaríamos que fosse feito a nós mesmos. (Frase atribuída ao rabino Haliel, em cerca de 4 d.C.)

Se refletirmos sobre isto é fácil perceber que se todos seguissem esta lei, nenhuma outra seria necessária para a conduta de todas as pessoas.

 

 

O Amor é um presente que podemos dar infinitamente para todos as pessoas que desejarmos, porém, como é um presente, temos que respeitar o direito de quem recebe de fazer o que quiser com ele.

Uns guardam, outros preservam e o fazem multiplicar, e outros, infelizmente, o jogam fora.

 

É CHEGADA A HORA DE ACORDAR

“todas as religiões tem falado sobre essa transição, de uma ou de outra maneira, mas há um ponto em comum: este é um momento de dor e sofrimento na terra, que colhe os frutos de sua relutância em seguir os ensinamentos que Jesus deixou na forma dos evangelhos (esqueça as Igrejas, esqueça dos dogmas, eu falo aqui somente do que ele falou e está registrado nos evangelhos, que pra quem não sabe significa apenas: boa notícia).

A tarefa que nos aguarda é ardua e difícil, até porque agora sabemos que muitos irmãos que estão situados em abismos espirituais , fugindo da luz, negando-se à reencarnação, serão compulsoriamente levados à vida física como última oportunidade.

O mal se espalhará ainda mais sua influência sobre o planeta. Mesmo assim temos todas as condições de sairmos vitoriosos, porque grande é o número de espíritos do bem que vêm de outras dimensões para nos auxiliar , auxiliar os que mantém o propósito firme de trabalhar para o bem, de si mesmo e dos outros. Estes auxiliares darão sustentação aos espíritos encarnados e também aos que permanecem no plano espiritual da terra, trabalhando para o progresso do planeta.

 

Muitos espíritos insistem em permanecer no mal, se iludem que podem frustrar o destino de regeneração do planeta, e tudo fazem para atrasar o progresso, se fosse possível até o impediriam.

 

Mas é chegado o momento da providência para a renovação do planeta. Muitos estão sendo beneficiados pela reencarnação que representa sua última oportunidade de permanência na terra. Muitos outros já foram retirados e enviados para mundos em estágios primitivos de evolução para reiniciar o percurso de todas as etapas, pois não valorizaram a oportunidade que tiveram.

 

Aproveitem a encarnação, a consciência começa a despertar, mantenham-se acordados.

 

É chegado o momento de transição da Terra de lugar de sofrimento para lugar de regeneração, e a doutrina espírita é um dos alvos prediletos dos ataques das trevas, pois descortina as verdades espirituais contidas nas palavras de Jesus.

Para os agentes do mal é importante calar seus seguidores, pois o espiritismo evoca ao despertar da consciência do homem, assim como Jesus fez aos primeiros cristãos e depois a Igreja política impediu e distorceu seus ensinamentos visando manter os homens    na ignorância.

 

Os espíritos recalcitrantes, que teimam em permanecer no mal vão ampliar sua área de ação, vão exercer maior controle sobre a mente dos homens , que desconhecem ser através de ondas mentais seu maior poder, confundindo seus pensamentos com os nossos, nos fazendo acreditar que somos nós que controlamos nossa mente.

É necessário entorpecer os homens, anestesiar ainda mais suas consciências, para que não vejam, não ouçam, e PRINCIPALMENTE : não consigam PENSAR. “

 

retirado de A Jornada dos Anjos, modificado para melhor compreensão.

proteção

Não importa a sua religião, ou mesmo que você não tenha nenhuma, nestes dias em que parece que tudo está errado, virado do avesso, neste mundo onde crianças são vítimas de pessoas doentes, onde netos matam avós e ladrões assaltam mulheres grávidas, todos nós queremos saber: COMO NOS PROTEGER?

 

Todo o segredo está nas VIBRAÇÕES que emitimos.

 

Assim como existe uma escala de cores e uma escala de temperaturas diferentes, assim também nosso corpo emite vibrações de acordo com o que pensamos ou sentimos.

 

Quanto mais tranquilos estamos, automaticamente nossos músculos faciais relaxam, ficamos com uma expressão suave, do quase rindo, e emitimos uma vibração em alta frequência que aos aptos à ver varia de uma cor azul ao rosa claro. É a vibração da paz, da calma, do amor.

 

E esta vibração emite LUZ. Quanto mais próximos do amor universal e fraterno, mais brilhante será esta luz e mais alta será esta vibração.

 

As pessoas (encarnadas ou desencarnadas) com raiva, ciúme, inveja, ódio, desejo de vingança, maliciosas, gananciosas, perversas e más vibram em uma frequência mais baixa, tendendo à cor vermelha e negra da escala, tendendo à AUSÊNCIA DE LUZ.

 

Pela lei da atração, atraimos o que vibramos; quanto mais satisfeitos estamos com nossa vida, melhores nossas vibrações, mais iluminados somos e mais luzes atraimos.

 

Entenda como LUZES: amigos, anjos, protetores, Jesus, Deus. (quanto mais luz, também mais calor)

E como ausência de luz: espíritos vingativos, ignorantes, maliciosos, sofredores, perigosos, demônios, inimigos. Não é por acaso que chamamos certos indivíduos de pessoas FRIAS.

 

Espíritos (encarnados ou desencarnados) sem luz, que vivem na escuridão da inveja, do egoísmo, da maldade, da malícia, são REPELIDOS pela luz. A luz os incomoda, e eles preferem ficar afastados dela. Seguem os que têm sua mesma vibração, se comprazem nos pensamentos de ciúme, de raiva, de autopiedade, de egoísmo, de vícios, e é atrás destes que eles vão. (são os obsessores)

 

Assim como um ladrão pode ser repelido pela sua luz e não te ver, também um anjo é atraído pelo seu pensamento e te seguirá.

 

Sendo assim a única proteção realmente efetiva com a qual podemos contar é o NOSSO PRÓPRIO PENSAMENTO! Vibre luz e estará atraindo coisas boas, assim como as leis da  física são as leis da vida: semelhante atrai semelhante.

Se ainda assim algo acontecer lembre-se: tivemos muitas vidas antes desta, e dela trazemos também muitos karmas à serem enfrentados: pois colhemos o que plantamos, e atraímos o que somos.

 

Quer mudar o mundo? Comece mudando sua própria vida, comece corrigindo o seu próprio pensamento, pois dele vem as palavras e os atos, e somos responsáveis por cada palavra e cada ato que deixamos aqui.

 

Amém

O Momento crucial da Humanidade

sobre Constantino, durante o concílio de Nicéia e a fundação da Igreja Católica Apostólica Romana:

 

“ Um dos bispos que seguia a visão ariana, de que Jesus era um enviado de Deus mas de natureza exclusivamente humana falou baixinho ao colega a seu lado:

  • Será que ele está de fato bem intencionado? sinto algo suspeito…

O outro respondeu:

  • Será? Ele tem dado boas contribuições para o Cristianismo. Veja o Édito de Constantino. Com ele, o domingo ficou como dia de adoração a deus. Recorda-se de como era esta definição? A ala judaica (e Jesus era judeu) queria o sábado, e os romanos o domingo.
  • Lembro-me bem como estava ficando confuso mas igualmente não esqueci os comentários que escutei sobre o domingo.
  • Que tipo de comentários?
  • Parece que foi escolhido também porque é o dia do culto do Sol Invictus, celebrado pelos romanos. Por isso desconfio das reais intenções de Constantino e não me sinto totalmente convencido.

 

O Outro se calou, pensativo. Os discursos começaram, os primeiros a argumentar foram os defensores da questão ariana. A princípio teve a palavra o próprio Ário (presbítero cristão da Alexandria) seguido de seus discípulos mais devotados, Eusébio de Nicomédia e Eusébio de Cesaréia. Depois de eloquente e entusiasmada exposição dos arianos, foi a vez dos ortodoxos. Vários deles falaram, especialmente Atanásio, diácono novo e companheiro de Alexandre, de Alexandria, lutador vigoroso contra os arianos; depois Eustáquio de Antioquia e Macário, de Jerusalém. Não obstante, muito antes de terminarem as discussões Constantino já tinha tomado todas as decisões concernentes àquele encontro. Dali sairia a forte Igreja, comandada diretamente por ele.

Esgotados os debates, Constantino propôs uma votação. E todos foram a favor da posição ortodoxa, com exceção de Ário, Eusébio e Eusébio de Cesaréia. A sentença para os perdedores foi dramática: os três foram exilados, as obras de Ário condenadas à fogueira e todos aqueles que porventura as possuissem seriam mortos. O direito a liberdade intelectual foi vencida pela exigência de conformidade espiritual da parte dos membros da Igreja à extensa e crescente organização eclesiástica. O Estado romano concedeu às deliberações daquele corpo eclesiástico o poder imperial.

Por fim, afastada em definitivo a ameaçadora questão ariana, os participantes estabeleceram a profissão de fé: os vinte cânones que deveriam nortear a Igreja a partir daquela data. Nascia assim a Igreja Católica Apostólica Romana (Católico etmologicamente significa: UNIVERSAL). Roma TOMOU POSSE DO CRISTIANISMO e subjugou-o para usá-lo a seu favor, com anuência do corpo eclesiástico .

Ao final, o imperador decretou:

  • Os que resistirem ao divino juízo deste sínodo podem preparar-se para o exílio imediato.

Depois de seis anos de disputa cube ao Concílio de Nicéia manter e perpetuar a unidade de fé. Os éditos posteriores de Constantino visavam infundir em seus súditos uma aversão ao arianismo.

A reunião foi encerrada, um a um os presentes foram deixando o salão que ficou vazio e frio. Constantino , que permaneceu por longo tempo em seu trono, sentiu calafrios a lhe percorrerem o corpo. Algo o incomodava. Ao seu lado, o espírito de Núbio (espírito vingativo que estava longe da luz e tomado de orgulho e ignorância) gargalhava satisfeito. Ele sim sentia satisfação total pelos objetivos atingidos. Naquela noite tinha conseguido uma legião, e ria afirmando:

  • Venceremos o Nazareno! Vocês podem acreditar em mim! Vejam a nossa vitória! De hoje em diante afundaremos o cristianismo em dogmas e mais dogmas. Ele jamais se erguerá de novo!

 

Constância, irmã de Constantino, ao saber do resultado da reunião:

  • Temo pelo futuro daqueles que terão somente estes ensinos deturpados que começam a tomar consciência em nosso meio, ainda mais sancionados pelo próprio Imperador.”

 

E este foi o momento crucial, onde as mensagens de amor fraternal deixadas por Cristo foram corrompidas e subjugadas pelo orgulho e desejo de poder dos homens, arrastando milhões de almas à ignorância e outros milhares à morte no milênio de tortura e escuridão que se estendeu depois desta amaldiçoada reunião. Uma sucessão de trevas, morte e horror nos anos da Inquisição, onde o amor de Cristo foi totalmente ignorado em favor dos dogmas e ganância dos homens, o período não erroneamente denominado ERA DAS TREVAS.

Foi tão extenso e pernicioso o mal cometido por esta Igreja que depois desta época a própria existência de Jesus é questionada, tal o paradoxo entre as palavras do Evangelho e os atos cruéis e terríveis cometidos pela dita Igreja de Deus.

 

Hoje, dois milênios depois a Providência torna públicas estas atrocidades, para que o livre arbítrio do ser humano possa levá-lo finalmente à Verdade e ao Caminho do Amor Fraterno ensinado pelo HOMEM que viveu e morreu como Jesus, o Cristo.

 

O texto entre aspas foi retirado do livro redigido pelo espírito de Lucius, psicografado por Sandra Carneiro, entitulado A Jornada Dos Anjos, o qual recomendo a leitura integral.

o maior paradoxo da humanidade: o AMOR de Deus ligado à TORTURA E MORTE

Livre Arbítrio

LIVRE ARBÍTRIO

 

O livre arbítrio é um termo que significa apenas a liberdade de escolha em fazermos isto ou aquilo. Nosso livre arbítrio não nos foi dado como uma dádiva (o poder da escolha) mas já existe em nós desde que tomamos consciência de nós mesmos (o que se demonstra pela diferença entre os animais e nós, que será explicado na parte referente aos animais). À partir deste momento em que percebemos que podemos agir diferentemente de todos os outros na nossa espécie, do momento em que podemos fazer ESCOLHAS CONSCIENTES temos o tão aclamado Livre Arbítrio.

Quando Deus mostrou a árvore do Conhecimento à Adão e Eva e disse ‘desse fruto não comereis’ ele estava propondo uma escolha consciente: de um modo será assim porém se escolher outro sofrerá as conseqüências, e sabe quais são elas. Deus não só mostrou a verdade (a árvore do conhecimento, do bem e do mal) como mostrou as conseqüências deste conhecimento: a morte física e a necessidade de prover seu próprio alimento. Daí concluímos ainda mais duas coisas: o imenso amor Divino, que nos propicia a oportunidade de experiência no mundo físico (‘certamente morrerás’) como nos dá o alimento, restando apenas à nós utilizarmos o nosso corpo físico para apanhá-lo.

É importante percebermos que este trecho bíblico não se refere de MODO ALGUM á algum tipo de ato sexual, como sempre foi mal interpretado pela Igreja Católica como o Pecado Original, e á maldade da mulher, sua inferioridade por ter sido a causadora da escolha pelo conhecimento. Interpretemos corretamente e vemos a Verdade: a mulher optou, pelo seu livre arbítrio á querer o conhecimento, e ao invés de conduzir a humanidade à ignorância, conduziu-a ao conhecimento, através do mecanismo da reencarnação como meio de aprendizado.

E vamos mais adiante, seguindo o raciocínio da interpretação errônea: a Igreja estabeleceu o batismo como uma forma de libertação do Pecado, sendo que deveriam glorificar este ato que foi o livre arbítrio escolhendo o conhecimento.

O sofrimento de tantas poderia mulheres ter sido evitado na Inquisição quando acusadas de bruxas por estarem á frente espiritualmente, quando se envolviam em curas por ervas e orações, e eram queimadas vivas!

O sofrimento de tantas que até hoje são acusadas por religiosos mal informados de pecadoras e causadoras de todo o mal…

 

A encarnação não deve ser percebida apenas como ‘expiação dos nossos pecados’. Muito pelo contrário, nós mesmos ansiamos pela encarnação na Terra como meio para atingirmos o que Eva e Adão ansiavam desde o início, o CONHECIMENTO DO BEM E DO MAL, ou seja, o conhecimento sobre todas as coisas para que possamos utilizar nosso livre arbítrio de forma correta, diferenciando o bem e o mal, ou seja, o construtivo e o destrutivo.

Cada oportunidade de viver na carne trás ao nosso espírito a possibilidade de adquirir inúmeros conhecimentos à respeito da perfeição da criação. Adquirimos experiências que nos ensinam sempre, porém vemos o aprendizado como coisa dolorosa e chamamos nossas lições de ‘sofrimentos’. Basta apreciarmos a lógica da reencarnação que não haverão para nós mais o sofrimento, mas um aprender que evolui de forma espiral.

Em seguido transcrevo trecho do livro de Rudolf Steiner para que os leitores tirem suas próprias conclusões: ‘Voltando no caminho da evolução humana, temos que o espírito do homem viveu antes na Terra como espírito luciférico, ou seja , referente á Lua. Baseado nas informações antroposóficas, temos que em um período bem anterior ao atual, a Terra esteve ligada á Lua, sendo este período da evolução conhecido pelos antropósofos como período da Antiga Lua. Neste tempo da evolução, o homem não existia como corpo físico, mas o espírito do que hoje é o homem encarnado, atuava no ambiente terreno em outra forma de organismo. Porém, ainda segundo a antroposofia, se este período houvesse continuado, esta linha evolutiva de vida deixaria de existir como resultado de seu próprio comportamento (mais especificamente, da rusticidade de sua própria organização física).

Assim, a Lua foi afastada da Terra, de modo que os seres anteriores á nós foram extintos, quase que na sua totalidade. Algumas organizações, no entanto, conseguiram passar pelo período crítico do afastamento da Lua, e plasmaram a sua organização de forma que pudesse ser habitada pelo espírito do hoje denominado humano. Algumas organizações, no entanto, não se desenvolveram o suficiente para a encarnação humana, e estas organizações foram como que tomadas pelos entes luciféricos para que estes pudessem continuar sua evolução. Os seres luciféricos atuaram então de fora da organização carnal, assimilando a vivência exterior porém ser participar dela. Trata-se dos que hoje vemos como animais, que são guiados pela alma grupo, sendo fragmentos de seu corpo astral, que contribuem para a evolução destes seres enteais através de sua vivência terrena. Porém até estas almas vão se individualizando conforme tomam consciência de si mesmas (como está descrito no capítulo sobre os animais).

Nós, por conseguinte, fomos os únicos que aperfeiçoamos nossa organização física á ponto de podemos nela encarnar. Como marca deste período tivemos o nosso corpo astral imiscuído de parte do corpo astral dos seres luciféricos, sendo esta a causa para nossa chamada ‘tendência ao mal’, que na verdade é também nossa alavanca para o conhecimento’.

A serpente então representa corretamente a influência luciférica na alma humana, como o impulso para o conhecimento.não são apenas duas opções, mas muitas..