FESTIVAIS – CICLO DA VIDA

retirado do site: http://www.brazilsite.com.br/mistiscismo/wicca/wicca04.htm

(apenas acrescentei ao lado as datas das comemorações no hemisfério Sul)

Também chamada a Roda do Ano, o ciclo de Sabats é uniformemente celebrado por todas as correntes modernas de neopaganismo, uma celebração do ciclo do Sol e da Terra representados pela Deusa e o Deus.

O primeiro passo de qualquer praticante é estabelecer um forte laço com a Terra, entrar em sincronia com as estações e energias telúricas, e nestas datas energias especiais estão fluindo.

Yule (Solstício de Inverno no Hemisfério Norte, 21 de Dezembro – HS 21 de junho ): associado à Lua Nova, é o dia mais curto do ano, e o ritual simboliza o nascimento do Deus Sol, que doravante ganhará a cada dia mais força; o deus recém nascido é o novo ano que se inicia, promessa e luz, e o Sol nascente é saudado em ritual. No hemisfério Sul o Solstício de inverno ocorre a 21 de Junho.
Yule é um período de recolhimento, meditação, reflexão sobre o mundo e sua vida, em que nos conscientizamos sobre nossos hábitos, temos de nos conhecer melhor para saber onde podemos nos aprimorar. A árvore enfeitada que é símbolo de Yule nos lembra da Primavera futura, mas em parte representa a nós mesmos, e o ato de decora-la deve ser imbuído de lembranças, sentimentos e projetos para o futuro. No hemisfério Sul, ao invés de decorar pinheiros, pode-se usar laranjeiras, pois a laranja lembra o fruto solar.

Imbolc (Candlemas, 01 de Fevereiro HS – 2 de agosto): os dias são mais longos, brotos surgem na terra. O ritual de limpeza e iniciação dão personalidade ao Deus, e existe mais consciência na disposição geral das coisas. Era uma data em que se celebrava a lactação dos rebanhos, havia luz mas ainda não havia calor. No hemisfério Sul ocorre a 01 de Agosto.
Imbolc é o tempo de focalizar no espírito criativo, a Deusa honrada em geral é Brighid, deusa da poesia, cura e manufatura de metais. Em tempos modernos ler um novo livro ou fazer um curso são atividades apropriadas para Imbolc, e também aprender técnicas artesanais, ou de cura.

Ostara (Equinócio de Primavera, 21 de Março 22 de setembro): em toda a natureza existe brotos, nascimentos, o pulso da vida é tão intenso que tudo o que se plantar frutificará; o equilíbrio entre dia e noite representam a virgem e o Deus jovem que se encontram, estão atingindo a maturidade. O ritual barulhento com tambores e latas tem por função acordar a Deusa, a Terra. No hemisfério Sul o Equinócio de Primavera ocorre a 21 de Setembro.
Ostara traz uma época de tempestades, raios iluminam o céu escuro, e no hemisfério norte é possível sair para locais abertos pois está menos frio, passeios ao ar livre são uma atividade deste período. Os ritos pessoais de Ostara incluem plantar sementes que depois se acompanha crescendo, e na Europa os coelhos e ovos são também um símbolo deste período, as famílias se reúnem e decoram ovos com tintas naturais.

Beltane (01 de Maio HS – 1 de novembro ): a jovem Deusa e o jovem Deus se unem no casamento sagrado, e ritos de fertilidade como a dança ao redor do mastro e as guirlandas de flores selam a união. Rituais ao lado de fogueiras celebram o casamento sagrado, e cestas de prosperidade cheias de flores e frutos são dadas de presente. No hemisfério Sul ocorre a 01 de Novembro).
Beltane sempre foi a festividade mais ligada à Terra, e a mais animada entre os celtas. Uma atmosfera de alegria faz com que se demonstre gentileza a estranhos, e mesmo nos dias de hoje se tem o costume de trocar cestas, preparando especialmente a cesta de cada amigo com as coisas que ele gosta e símbolos das coisas que você lhe deseja. Comemorações na cidade dificilmente podem incluir uma fogueira, mas uma churrasqueira acesa congregando amigos tem o mesmo efeito, e as guirlandas de flores podem ser substituídas por pequenos ramos ou vasos colocados em seu local de trabalho e casa.

Litha ( Midsummer, Solstício de Verão, 21 de Junho 21 de dezembro): associado à Lua Cheia, o dia mais longo do ano, a culminação da Luz que doravante levará ao decréscimo da quantidade de Luz. O Deus se torna consciente de que vai ser pai, e assume responsabilidades, a Deusa, plena de vida, emite Luz e regozija-se. No hemisfério Sul o Solstício de Verão ocorre a 21 de Dezembro.
Litha é um período de equilíbrio, em que balanceamos nossa busca espiritual com a vida real e suas necessidades, e oferecemos aos outros trabalho prático, que pode ser ajuda voluntária dedicada a qualquer boa causa. Uma boa faxina em casa, talvez uma pintura, novas cores ao redor, arrumar armários e doar o que não se usa podem trazer ordem ao espírito, e abrir caminhos para novos projetos. Antigamente se fazia bolos que lembram o símbolo solar (redondos, com um furo no centro), decorados com flores e sementes, e se usava roupas verdes.

Lughnasad (Lammas, 01 de Agosto HS 2 de fevereiro): os frutos aparecem na vegetação e ocorre a primeira colheita, o ventre da Deusa cresce, o Deus está no ápice de sua força. Com o primeiro trigo colhido dão feitos pães coloridos .No hemisfério Sul ocorre a 01 de Fevereiro.
Lammas é o período de colher, escolher e de estocar alimentos. Fazer compras em mercados, feiras, e lojas de comida em geral pode ser um exercício ritual. Ao escolher as compras pensamos em cada um dos familiares que irão consumi-las, e em como os queremos bem e queremos que suas vidas frutifiquem. Pensamos em cada um que plantou, cozinhou, colheu, transportou, e transferimos a eles e ao seu trabalho nossas bênçãos. É hora de honrar nossos ancestrais, então nada melhor que uma refeição especial em família para agregar estes símbolos, tendo ao centro um pão especial, que é a oferenda feita com os grãos da colheita, e pães especiais devem ser preparados para as crianças, pois elas são as sementes de colheitas futuras.

Mabon (Equinócio de Outono, 21 de Setembro HS – 20 de março ): tempo de colheita, tempo do grande Deus / veado-rei ceder sua posição, fabricação de vinho, colheita de frutos. A Deusa chora por seu consorte, que para defender o povo partiu em batalha, e este é outro ponto de equilíbrio entre dia e noite, mas sabemos que gradualmente a noite vai ganhar terreno, gerando uma crise de consciência à vista das mudanças que estão por vir. No hemisfério Sul o Equinócio de Outono ocorre a 21 de Março.

Mabon é um período de morte e renovação, quando as folhas ficam douradas e as hortas se reciclam, e antigamente se abatia animais cuja carne seria salgada para consumir no inverno. Na cidade, a melhor forma de celebrar este sacrifício ritual, é doando o que não se usa mais, especialmente roupas, para pessoas carentes, ou fazendo tarefas que normalmente se considera um sacrifício, conscientes de que o sacrifício imprime autodisciplina. Muitas tradições consideram Mabon o tempo da água, e freqüentemente fazem rituais à beira do mar ou lagos, símbolos dos ciclos eternos das marés. Em geral, qualquer ritual ou reunião de Mabon deve haver muita música, canto em conjunto e companheirismo.

Samhain (Noite da Almas, All Hallows Eve, 31 de Outubro HS – 1 de maio ): É o ano novo celta, a colheita terminou, as plantas morrem e suas sementes ficam dentro do solo gelado esperando pela oportunidade de crescer; a Deusa reina como Anciã e o Deus está do outro lado do véu, no mundo dos mortos (Summerland), de onde vê o nascimento de sua semente, o jovem Deus renascido. Este é o tempo de honrar os mortos, nos rituais sempre se reserva lugares para os parentes que já partiram se sentarem e se reunirem com os vivos, e vemos a trama da reencarnação girando eternamente a Roda. No Hemisfério Sul ocorre a 30 de Abril.

Samhain encerra o ciclo do ano, e no hemisfério Sul este período é marcado pela passagem mágica das borboletas, símbolo máximo da morte e renascimento, da impermanência e da liberdade. No hemisfério norte, é a chegada do frio. O espírito de Samhin é de encerrar de forma correta ciclos que passaram, desde amizades e empregos perdidos a relacionamentos longos que não mais são positivos. Na cidade, o foco de celebração é o Halloween, com doces e crianças, abóboras esculpidas e decoração com espigas de milho, castanhas e sementes de toda espécie. A frase pagã que descreve Samhain é: ” Tudo que foi perdido se encontra novamente, sob uma nova forma, de um jeito novo”.